Ana

A exposição “Quanta destruição há no Progresso?” montada pelas turmas do 8o. e 9o. ano, sob supervisão das professoras de História Caroline e Isabella, recebeu mais de 500 visitantes entre alunos, professores e funcionários da escola no período de 22 de maio a 20 de junho.


A mostra tinha por objetivo colocar em questão como os avanços tecnológicos alcançados pelos seres humanos nos últimos séculos, especialmente após a Revolução Industrial, contribuiu também para o aumento de seu poder de destruição, causando profundos impactos ambientais e aumentando o potencial de destruição das guerras.

Recebidos e orientados pelos alunos/monitores, os visitantes puderam  apreciar uma linha do tempo que percorria a história da industrialização desde o século XVIII até o ano de 2012, quando se realiza a Rio+20, dando destaque para algumas invenções e acontecimentos que marcaram os últimos séculos.


Acompanhados por textos produzidos pelos alunos sobre o processo de industrialização, uma instalação com restos de aparelhos celulares, videogames, computadores e outros objetos eletroeletrônicos reunidos pelos alunos e funcionários chamava atenção para o problema do lixo eletrônico em nossa sociedade atual.

Para homenagear as vítimas das guerras nos últimos séculos, um mural com fotos de guerras em todo o mundo, incluindo os conflitos entre a polícia e traficantes de drogas na cidade do Rio de Janeiro, dava o tom do debate.

Com caixas de papelão, tinta e muita criatividade, os alunos criaram um cemitério para mostrar a conseqüência dessas guerras. Os epitáfios de personagens que teriam sido mortos durante vários desses conflitos, colocados junto às “sepulturas” ajudava a trazer para realidade de forma sensível um assunto tão dramático.


Cada visitante foi convidado a deixar sua mensagem e impressões em pedaços de papel que eram amarrados com barbante numa cruz disposta no canto da sala, como um sinal de que estamos a tentos a todos esses problemas.

Se você foi um desses organizadores ou visitou a exposição, deixe seu recados e suas impressões!

Leia agora alguns dos textos que fizeram parte da mostra:




Industrialização 
     A Industrialização é um processo histórico e social através do qual a indústria se torna o setor dominante de uma economia mediante a substituição de instrumentos, técnicas e processos de produção resultando em aumento de produtividade e geração de riqueza.
     Assim, a economia, antes de base agrária, artesanal e comercial, passa a ter uma base urbana e industrial – o que gera transformações profundas sobre os modos de vida e o padrão de relações sociais.
     A industrialização pode ser parte de um processo mais amplo de modernização, em que a inovação tecnológica, desenvolvimento econômico e mudança social estão estreitamente relacionados. Nesse processo, ocorrem mudanças de atitudes dos indivíduos e da sociedade e em relação à natureza que passa a ser vista como recurso produtivo.
     A partir de meados do século XVIII, na Inglaterra ocorreram importantes mudanças tecnológicas que tiveram profundo impacto no processo produtivo, com repercussões nas esferas econômica e social. A esse conjunto de transformações chamou-se Revolução Industrial. Depois da Inglaterra, vários outros países passaram por esse processo. 
     A chamada Primeira Revolução Industrial foi marcada pelo surgimento da primeira máquina a vapor e pelas conseqüentes mudanças.
     Já a chamada Segunda Revolução Industrial envolveu uma série de desenvolvimento dentro da indústria química, elétrica e siderúrgica, com base no uso intenso de petróleo como fonte de energia.
     Por fim, a terceira Revolução Industrial, conhecida também como Revolução Digital, caracteriza-se pelo uso intensivo da informática e as consequentes mudanças nas relações sociais econômicas.
 (Victoria Mariana Sade de Souza, turma 1802)
 
 
 
 Desenvolvimento sustentável
     O desenvolvimento sustentável foi criado pela assembleia das nações unidas em 1983 e surgiu na comissão mundial sobre meio ambiente e desenvolvimento.
     Desenvolvimento sustentável é um projeto que foi criado com o intuito de preservarmos mais a natureza, cuidarmos mais do nosso planeta. 
     É muito importante que a população se preocupe com isso, pois, prejudicando a natureza, estamos prejudicando a nós mesmos. Um exemplo: apenas parte do lixo que jogamos na rua recebe tratamento adequado, a maior parte vai para os rios. Quando chove, ruas são alagadas e casas destruídas, o que causa enormes prejuízos. Mas podemos evitar isso tudo, respeitando a natureza, fazendo coletas seletivas, não jogando lixo nas ruas, não fazendo queimadas, através de reciclagens e vários outros.
     Então, vamos cuidar mais da natureza, pois ela é um benefício que possuímos.
 (Fernanda Sabadini Pedro da Silva, turma 1802)
 
 
 
 Progresso x Destruição
     A Revolução industrial foi uma época de grande mudança na história da humanidade. Foi quando a tecnologia desabrochou, começando o progresso, mas também a destruição ambiental que vivemos hoje.
     A revolução baseou-se em cima de poucas fontes de energia, basicamente: ferro e carvão.
No início do processo, os homens usavam e exploravam ao máximo esses recursos e, com o tempo, passaram também a explorar outras fontes de energia.
   Os progressos tecnológicos e avanços científicos foram acompanhados de conflitos, guerras e destruição ambiental.
     A preocupação com o meio ambiente foi tão grande que começaram a se desenvolver movimentos ambientalistas para que os recursos naturais do planeta não fossem explorados até o seu limite máximo.
     A humanidade encontra-se diante de uma situação critica na história da Terra, na medida que o mundo torna-se cada vez mais interdependente e também frágil, será necessário fazer um escolha a respeito do futuro do planeta
 (Yasmim Fernandes de Carvalho Leite, turma 1802)
 
 
 
     “O desenvolvimento industrial e tecnológico contribuiu para aumenta o poder de destruição: mito ou verdade?”
     Verdade! E um exemplo disso são as armas utilizadas nas guerras.
    Antigamente as armas eram espadas estudos, não existiam armas de fogo e nem explosivos, por causa da tecnologia que ainda era muito primitiva.
     Hoje, com o avanço tecnológico e industrial é possível ocorrer guerras com armas de fogo como fuzis, metralhadoras, bazucas, bombas entre outros.
(Bárbara Mecenas, turma 1903)
 
 
     O desenvolvimento da indústria bélica contribuiu grandemente para o poder de algumas potências, as tecnologias utilizadas foram decisivas para a vitória.
     Na segunda guerra mundial, o uso da bomba atômica foi decisivo para a vendição dos japoneses.
   Do ponto de vista estratégico militar, as duas potências que no pós-guerra dividiram o mundo desenvolveram armas cada vez mais poderosas e organizaram estruturas de informação e inteligências militares que envolveram seus aliados.
  Durante as guerras mísseis, aviões, armas poderosas foram utilizadas graças à tecnologia desenvolvida.
     Hoje uma nova guerra mundial teria proporções ainda maiores graça a nova tecnologia.
 (Rayanne de Cássia e Ana Cristina dos Santos, turma 1903)

10 Responses
  1. LINDO! LINDO! LINDO!... Isso é Educação de verdade! Isso é vontade de fazer acontecer! Isso é trabalhar de verdade pela boa Educação! Um trabalho desse deve ter apoio e deve ser exemplo. Parabéns, professoras Caroline e Isabella! É por essas e outras que vcs tem toda minha admiração! Tenho orgulho de ser colega de trabalho e projeto de vcs duas. E vamos juntas! Mesmo que tudo seja sempre tão difícil pra gente, o importante é ter em mente, que no final, a gente sempre, pimba!


  2. Parabéns para os alunos que participaram deste projeto. É uma honra ser professora de vcs! Aproveitem o feriado da Rio+20 para curtir os eventos e exposições do evento e fechar com chave de ouro o ciclo de aprendizagem desta primeira fase do Projeto sobre Educação e Meio Ambiente que desenvolvemos com vcs.


  3. Parabéns alunos, professoras Caroline e Isabella; a qualidade do trabalho apresentado só não impressiona mais por já ter acompanhado outros realizados por vocês e saber que o resultado é sempre fantástico. É muito legal ouvir nossos alunos falando com tanta desenvoltura sobre temas tão relevantes. Orgulho é pouco!


  4. A exposição nos mostra e nos abre os olhos para as nossas próprias causas, ela também mostra nossa evolução após os anos.
    A exposição foi meio trabalhosa mais no final tudo ficou perfeito o que mais me chamou a atenção foi a cruz que podia deixar uma mensagem para as pessoas que já se foram que lutaram por nós, é também o cemitério.

    Nome: Valesca Mothé Marinho
    Numero: 31
    Turma: 1804


  5. Unknown Says:

    Eu achei legal,muito interessante porque tinha a ver com o Rio+20 e fez com que as pessoas se interessasse mais com o meio Ambiente .como lixos eletrônicos como não jogar lixos eletrônicos nos rios.

    Nome:Carolayne Silva de Souza
    Nº:07
    Turma:1804


  6. Anna Beatriz Says:

    A exposição foi interessante pois mostrou dois lados o do desenvolvimento (a industrialização), e a destruição (guerra e o lixo eletrônico jogado em qualquer lugar).
    Eu particularmente gostei mais da parte da guerra, pois tinha os caixões e a cruz que era muito maneiro.

    Nome: Anna Beatriz de Souza Pereira
    Nº: 05
    Turma: 1804


  7. David Silva Says:

    A exposição nos mostra e nos abre os olhos para as nossas próprias causas, ela também mostra nossa evolução após os anos.
    A exposição foi meio trabalhosa mais no final tudo ficou perfeito o que mais me chamou a atenção foi a cruz que podia deixar uma mensagem para as pessoas que já se foram que lutaram por nós, é também o cemitério aonde ficava os mortos

    David Da Silva
    Turma:1805
    N°08


  8. tais Says:

    Eu achei bastante interessante,que mostra como foi um pouco as guerras,desenvolvimentos industrial.E que os alunos poderam parcipa,interagir conosco.
    Gostei da parte também do lixo eletrônico,com a proposta de nós trazermos para escola para mostramos na exposição e informando nós sobre os danos causados ao meio ambiente.

    Nome: Taís Santos Da Silva .Nº 34
    Turma:1901


  9. leonardo Says:

    a esposição foi bem legal falou dos soldados mortos nas guerras falou tambem do lixo eletrônico que muinta gente não sabe o que fazer ,e tambem falou q existem empresas que o reciclam leonardo do santos p da silva numero 22 turma 1901


  10. Beatriz Says:

    Gostei muito dos trabalhos que agente fez, e ficou muito maneiro e valeo pelos nossos esforço.
    Beatriz Marcolino
    Turma: 1802
    N: 7


Postar um comentário